sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

ACOLHIMENTO E ADAPTAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL. E POR QUE, NÃO?







Abrem-se portões...     
Quanta gente!!!!
Quantas pernas!!!                                                         
Que escola é essa???
Que mundo novo é esse???

Bete Godoy
Patricia Helena

Tranqüilizando famílias...
Alunos...
Professores...

Este artigo tem o objetivo de dialogar com os gestores e educadores sobre um assunto tão importante quanto as práticas pedagógicas de alfabetização no Ensino Fundamental: o acolhimento e adaptação na escola.
Acolher com carinho e respeito deve ser plano de ação institucional de uma escola independente da faixa etária. Por que não estender este cuidado às crianças maiores e até aos jovens?
Afinal, quem é que não gosta de ser bem recebido? Ter insegurança, sentir-se ansioso não é coisa só das crianças da educação infantil.
Lidar com o novo, o inesperado, traz sentimentos nada comuns a qualquer pessoa não importa a idade.
Quando as crianças saem da Educação Infantil e chegam à escola do Ensino Fundamental sentem-se na Terra de Gigantes. Reconhecemos que a dinâmica desse segmento é diferente, mas existe algo em comum: a certeza de que estabelecer vínculos de confiança pode contribuir muito para o desenvolvimento cognitivo dos alunos/crianças  além de diminuir o abismo que existe entre as famílias e a escola.
É claro que crianças e jovens precisam ter respeitado as especificidades da sua faixa etária. Não estamos propondo as mesmas ações para todos os níveis de ensino, mas a atenção dos gestores para os primeiros momentos de convivência em comunidade: a comunidade escolar.
Queremos que o primeiro contato neste ambiente diferente do familiar não seja marcado por medo, susto, insegurança, mas pelo sentimento de aconchego, respeito e credibilidade.
- O que impede que cada escola pense em receber seus alunos aos poucos, dar-lhes uma atenção cuidadosa?
- Em apresentar os espaços, aos funcionários,  alunos e  pais,  sem o atropelo que geralmente marca o início do ano letivo?
Receber todos de uma só vez mesmo para a escolas reorganizadas ( que só atendem o ciclo I ) é  desgastante e para as escolas que atendem do Ensino Fundamental ao Ensino Médio a coisa ainda é mais complicada.
Não se trata apenas de marcar dias diferentes para cada turma começar e sim de planejar ações, atividades pedagógicas durante este período para que com tranqüilidade os que freqüentam e os que vão frequentar a escola sejam tratados como pessoas e não como número na matricula.
Sabemos que muitas pessoas no mesmo espaço, ao mesmo tempo, tentando se localizar, conhecer e conversar provocam  agitação de todas as partes. O que é possível então fazer para que tudo se inicie com maior tranqüilidade?
Trouxemos algumas questões a serem pensadas pelos gestores quanto ao acolhimento e adaptação no Ensino Fundamental:

PRIMEIRO MOMENTO- Reunião entre a equipe técnica para planejar o acolhimento dos professores e a pauta dos encontros da semana de planejamento:
Coordenador pedagógico organize, planeje e elabore uma pauta para o encontro entre os gestores no mês de janeiro para que este assunto seja discutido primeiro entre a equipe.
Tenha em mãos no momento da reunião da equipe técnica uma planilha com os dados informativos da escola, quanto:
-Número de turmas.
-Idade.
-Número de alunos por turma.
-Número de novas matrículas. Quantas crianças ainda não conhecem a escola?
-Horário de cada turma.
-Qual será o quadro de funcionários no início de ano letivo?
-Previsão do número de professores novos na unidade educacional que não conhecem a proposta pedagógica da escola.
-Quantas crianças com necessidades educacionais especiais serão atendidas neste ano?
-A data de início das aulas e  de trabalho dos professores.
-Quantas crianças serão atendidas no primeiro ano do ensino fundamental?
-Qual a previsão de término das reformas no prédio e equipamentos que são comuns neste período?

·         Elenque quais são as ações de cada um dos gestores para o ano letivo, ou seja, trace metas para o decorrer do ano sempre pensando nas prioridades de ações.

·         Uma ação inicial é planejar como será o acolhimento dos professores e funcionários não se esquecendo que:

-Ser bem acolhido é um direito dos educadores e favorece a compreensão dos mesmos sobre a importância deste momento.
-Reserve no primeiro dia um tempo para que as pessoas possam conversar, contar sobre as férias, para que se apresentem, conheçam os espaços da escola e saibam quais serão os assuntos a serem tratados nos outros dias.
-Elabore a pauta dos encontros. Os dias destinados a organização da escola para o início do ano letivo não são muitos, então, atenção especial na elaboração e execução da pauta para que as ações não se percam diante de tantas questões que devem ser pensadas e resolvidas.
 - Elencar antecipadamente entre os gestores (em janeiro) quais são as necessidades urgentes, os assuntos e ações que precisam ser discutidas a curto, médio e a logo prazo ajudará na escolha de prioridades num primeiro momento.

SEGUNDO MOMENTO- Acolher os educadores
- Receba bem os educadores para que eles vejam que a gestão carinhosamente organizou os espaços para recebê-los, então:
·         Prepare uma mesa para o lanche ou café com um diferencial do cotidiano escolar.
·         As paredes da escola também devem demonstrar o carinho em receber os que estão chegando.
·         Proponha uma atividade de ambientação com o objetivo de aproximar e estabelecer vínculos entre os que já trabalham na unidade educacional e os que estão chegando.
·         Se possível, oferte algo que foi pensado especialmente para eles (um bombom, uma música, uma mensagem, uma apresentação de vídeo, etc.).

      Reconhecemos que no primeiro dia, diante da ansiedade dos educadores no reencontro com os demais amigos é muito difícil oferecer situações que exijam maior reflexão, então, aproveitem para dar os informes, falar sobre reformas do prédio, a compra de materiais e equipamentos, estrutura de organização da escola, ou seja, com quem eles trabalharão (dos gestores aos funcionários) e etc.
     No final do primeiro encontro pontue quais os assuntos que serão tratados no dia seguinte, pois isso contribuirá para que percebam que os gestores estão antenados com o que está acontecendo e o que precisa acontecer.

      TERCEIRO MOMENTO- Planejar o acolhimento dos alunos

    Dentre os vários assuntos a serem tratados nos dias de planejamento, reserve um momento para planejar o acolhimento dos alunos, afinal esta é uma ação inicial importante e que envolve todos da escola.

    Como já foi citado nos artigos sobre  Educação Infantil, melhor será a adaptação do aluno se o acolhimento for bem planejado. Então, não esqueçam de pensar sobre:

  • A faixa etária que será atendida (utilize a planilha de dados informativos da escola acima citada)
  • Quantos dias serão destinados ao período de acolhimento?
  • Quando cada turma iniciará?
  • Qual o período de permanência dos alunos em cada dia?
  • Como os pais serão informados?
  • Como e em que momento será a participação das famílias ou de quem cuida do aluno?
  • E o mais importante: quais atividades serão planejadas para cada dia
    O acolhimento é uma ação que envolve todos os que trabalham na unidade educacional. É necessário que todos participem deste planejamento e que cada segmento tenha definido como será sua atuação.


Retomar as práticas de acolher que já realizam é importante. O desafio é ampliar para qualificar a prática. Pensando sempre em como podemos fazer melhor em benefício dos alunos e de todos.

O papel do coordenador pedagógico é fundamental além de  organizar a pauta e os encontros  será o articulador das ideias trazidas pelos professores ajudando a dar encaminhamento às ações. Ele deve se antecipar junto com o diretor elencando as várias possibilidades de organização de horários e de atividades diante dos recursos materiais da escola para que  possa contribuir com sugestões plausíveis  não correndo o risco de ficar divagando no mundo das possibilidades. Diante dos recursos humanos, materiais, estruturais... o que pode ser planejado para acolher os alunos?

Sabemos que não é uma tarefa fácil até mesmo porque o número de crianças atendidas numa escola de Ensino Fundamental é muito maior que na Educação Infantil, mas, não podemos nos refutar a esse compromisso. A lida diária no ambiente escolar tem consumido muita energia dos educadores. Acolher não é só importante porque fará bem aos alunos, mas porque ajudará a melhorar a relação escola-alunos-comunidade e evitará desgastes maiores no futuro.
Não joguemos como no “cabo de guerra” onde ganha a equipe que puxar mais forte por seu lado. Na educação só vamos conseguir reverter essa situação se todos puxarem para o mesmo lado: para uma escola Democrática e de Aprendência.
Juntos somos mais fortes!!!
É importante enquanto gestores que pensemos na educação como um corpo que se completa em seus segmentos. Educadores de Educação Infantil e de Ensino Fundamental precisam enxergar, reconhecer e valorizar a importância desta unidade. A educação não lida com pedaços de pessoas, mas, sim com pessoas na sua totalidade.

 Por isso faça seu projeto, participe ao conselho de escola, peça ajuda ao supervisor da sua unidade educacional para que dúvidas e parcerias sejam estabelecidas.
Professor, se sua escola ainda precisa pensar melhor sobre esse assunto, apresente essas idéias à sua equipe gestora.

Ficaremos felizes e honradas em saber que alguma escola pensou no acolhimento. Qualquer mudança para melhor atender os alunos será um avanço.
Sucesso!!!!!
  
Sejamos realistas, sonhar é possível!

Para saber mais:

-Acolhimento e adaptação na educação infantil

-Adaptação e acolhimento na creche

-Cuerda, José Luiz. A língua das Mariposas. Filme

Nota: No artigo acolhimento e adaptação na educação infantil foi postado um folder informativo para os pais falando sobre  a semana de acolhimento. Podemos enviar o modelo caso deseje criar um para a sua escola.
Solicite por e-mail.

11 comentários:

Anônimo disse...

nossa... que acolhimento legal.
Eu ia curtir demais se trabalhhasse nessa equipe!!!
Amei a caixa de feira forrada com panos coloridos... eu tenho várias que uso de armário/prateleira na Brinquedoteca, mas pintei a mão... dá um trabalhão lixar, rs. Forrar deve ser mais fácil, rs. Adorei a confecção de fuchiicos para cortina de divisão de espaços.
Muito legal esse tipo de trabalho, pq prepara com carinho nosso início de trabalho, tão importante para nossa rotina com as crianças.

Raquel Tavano

Anônimo disse...

Finalmente estão agindo com mais carinho além de educar precisamos cuidar pois o fundamental aparenta ser algo tão frio sem vida..As crianças vão valorizar mais a educação.Obrigadão a todos por essa ação.VALEUUU.

Patricia Cassia da Silva

Anônimo disse...

É necessáro fazer isso, sem se importar com a faixa etária, mas especialmente com os pequenos!!!!! bjs!!!!

Vilminha Izaura Bernardes

Anônimo disse...

Concordo plenamente. A vida é feita de fases diferentes e, mesmo adultos, precisamos utilizar de recursos de adaptação para tantas coisas...imaginem as crianças ( e os adolescentes também).

Ana Lúcia Naletto

Anônimo disse...

Bete adorei! Enviei também aos amigos e amigas.Felicidades, saúde e paz.Bjs Fran.Não se esqueça de mim.Obrigada

Alice Vianna disse...

Olá, Bete e Patrícia!
Adorei o post! Parabéns!
Quero recomendar a visita ao site do Educar Para Crescer (www.educarparacrescer.com.br). Lá há uma série de matérias abordando a questão da Educação, inclusive uma que traz deba­tes sobre a ­melhor maneira de alfa­be­ti­zar as crian­ças.
Tenho certeza de que vocês vão adorar!
Tudo de bom pra vocês!
Um abraço,
Alice.

Patricia disse...

tenho grande interesse no folder
email: patyeduc@gmail.com

HELEM disse...

Fiquei interessada em conhecer o folder...poderia me enviar?
Meu email é prohelem@hotmail.com
Agradeço

abraços
Helem

HELEM disse...

Fiquei interessada em conhecer o folder...poderia me enviar?
Meu email é prohelem@hotmail.com
Agradeço

abraços
Helem

Andreia Gamero disse...

Adorei o artigo, na escola de meus filhos, este ano modificou-se toda a estrutura de organização das salas, colocaram os 1° Anos juntamente com os 4º e 5° Anos no período da manhã, tentei argumentar sobre as especificidades das crianças de 6 anos neste período de transição, conversei e agrupei diversas mães que concordaram comigo, que seria muito melhor colocar essas crianças com outras de uma idade semelhante no mesmo período, mas o Diretor está irredutível, ainda disse que arrumei uma demanda de mães leigas para argumentar essa organização...disse que é impossível atender a nossa solicitação...

Angelica disse...

Bom dia!!!

Primeiramente parabéns pelo excelente trabalho.

Gostaria de saber se vocÊs encontraram o filme: A língua das Mariposas com legenda em português?

Desde já agradeço a atenção.

Angelica

angelicaadriana19@hotmail.com