sábado, 12 de setembro de 2009

Cuca ! Achou !

Conceito de permanência


Por Maria Cristina dos Santos

Coord. Ped. CEI Jardim Rodolfo Pirani



video



_ Felipe !

_ Felipe!

_ Cadê o menino?

_ Achou!!!!!

Brincar de esconde- esconde é sempre uma delicia.

Quem resiste ao Cuca! Achou o bebê!

Segundo Gerson Abarca, a brincadeira de esconde esconde, em que o bebê esconde-se do rosto do adulto e logo em seguida reaparece, ou quando nós adultos tiramos nosso rosto do campo visual da criança e em seguida fazemos aparecer rapidamente com algum barulho revelando surpresa, “achou!”, trás a certeza de que o bebê está entrando na descoberta do terceiro. Revela que ele está conseguindo deixar sua mãe para descobrir outras pessoas. Agora ele já não é mais um com a mãe, apresenta sinais de separação. Já a partir dos três meses o bebê começa a ensaiar esta separação, mas é com determinação aos seis meses que esta procura vai se solidificando.

A relação da criança com o mundo se dá pelo brincar, e o conhecimento deste mundo só passa pela via do brincar

É comum ao brincar com a criança que ela acredite que se escondeu apenas tapando o rosto. Ou seja, se ela não enxerga nada porque cobriu os olhos, os outros também certamente não irão enxergá-la. Eles não tem ideia de que as coisas permanecem no lugar quando ele não as vê.

Ao esconder o rosto ou um brinquedo, fazendo-os aparecer em seguida, o bebê aprende que um objeto ou uma pessoa existem mesmo que estejam fora de seu campo de visão.

O que me chamou atenção ao ver este filme foi que a estimulação ocorreu dentro de um ambiente estimulador e a atividade foi proposta a partir do que é proprio ao universo infantil, o brincar.

Enquanto o Felipe brincava com o tule a Isabela Okabe faz um movimento com todo o corpo da perspectiva de esconde-lo.

Andre Trindade em seu livro Gestos de Cuidado, Gestos de Amor diz que "Estimular por estimular, de maneira artificial e fora de contexto, com atividades pedagógicas, parece-me colocar as crianças para trabalhar antes da hora."

Parabéns a professora Francilene pela sensibilidade em trazer de forma intencional uma brincadeira tão gostosa que ensinará um conceito tão sofisticado que é o da permanência.

2 comentários:

Anônimo disse...

Sou professora de Educação Infantil de um CEI na Zona Leste de São Paulo e participo dessa mesma concepção de infância, onde a criança é sujeito de seu conhecimento e aprendizagens . E nós educadoras somos mediadoras para o bom desenvolvimentos desses pequenos.

UM GRANDE ABRAÇO E MUITO OBRIGADA!
CLÁUDIA NUNES

Priscila Okino disse...

Olá Cristina, estive atrapalhada e só hoje consegui ver seu blog. Parabéns!!!
Vou voltar a cuidar do blog do Muriquinhos. Acompanhe as novidades.