quinta-feira, 28 de maio de 2009

Espaços que desafiam e acolhem

Por Maria Cristina dos Santos

Coord. pedagógica

As escolas de Reggio de Emilia acreditam que o espaço ajuda os professores a compreenderem como a criança inventa veículos autônomos de liberdade expressiva, de liberdade simbólica e vias de comunicação através da observação.

O espaço funciona como um segundo professor na sala.

Um espaço planejado, com intencionalidade, mais acima de qualquer coisa um espaço lúdico, onde a criança em alguns momentos seja desafiada e em outro acolhida.

video

Professoras: Francilene Pereira de Lima e Sylvia Georgina Freire de Sou- BI 2009

Centro de educação Infantil "Jardim Rodolfo Pirani"

terça-feira, 26 de maio de 2009

TODOS EM DEFESA DO PLANETA! AGENDA 21 LOCAL.EMEI PROFª RUMI OIKAWA

Por Bete Godoy
Coordenadora Pedagógica

Contextualizando:
Há 4 anos os educadores da EMEI Profª Rumi Oikawa vem realizando ações ligadas ao meio ambiente que resultou em 2008 na elaboração da AGENDA 21 LOCAL com base na Agenda 21 brasileira.
O projeto tem 4 princípios que norteiam as ações e práticas pedagógicas realizadas junto às crianças e comunidade.

São eles:
1º RESPEITO E CONSIDERAÇÃO A TODOS OS SERES
2º ÁGUA UM BEM FINITO
3º RECOLHER, REDUZIR, REAPROVEITAR E RECICLAR.
4º DESENVOLVIMENTO LOCAL

Objetivos Gerais

  • Conhecer as características ambientais, econômicas e sociais do entorno.
  • Elencar a partir da necessidade e características do entorno quais serão os princípios da agenda 21 local.
  • Envolver as crianças, famílias e comunidade na elaboração e participação do projeto.
  • Estimular a criação de bons hábitos em defesa do meio ambiente.
  • Divulgar e informar a comunidade sobre os assuntos que envolvem as questões ambientais.
  • Ser a escola pólo de discussão ambiental.
  • Divulgar os documentos: Agenda 21 Brasileira e a Carta da Terra.
  • Planejar situações de vivências e aprendizagens interessantes onde as crianças possam aprender a cuidar de si mesma e defender o planeta.
A partir deste mês de maio o blog trará matérias, planos e sugestões de práticas realizadas com as crianças envolvendo as linguagens infantis na discussão sobre as questões ambientais.


RECOLHER, REDUZIR, REAPROVEITAR E RECICLAR
EDUCADORES ENVOLVIDOS
Andréia dos Santos Figueira
Deise Roselen
Ivanete Aparecida de Souza Anacleto
Monica Alves Picasso
Rosemeire Lúcio Salvador
Vera Ligia Cândida dos Santos
Vilma Francisca da Silva
Viviane Monteiro Marques. N. Silva
Esse projeto teve por base um dos princípios da Carta Da Terra que é respeitar e cuidar da Comunidade da Vida, sendo a prevenção aos danos do meio ambiente o melhor método de proteção ambiental.
Posturas desenvolvidas no Projeto: Precaução e Proteção à sustentabilidade ambiental.

Desafio:
Construir conhecimento e desenvolver a criação de bons hábitos com relação as questões ambientais em crianças de 3 a 6 anos em uma comunidade onde estes quatro “Rs” pode até significar o pão de cada dia.

O primeiro pensamento foi enfatizar uma atitude, uma ação positiva para cada “R”.

Parceria com a família
Recolhemos óleo junto com as crianças e a comunidade. Fizemos uma oficina de sabão.
Colocamos em prática os três ‘Rs”...
RECOLHER, REDUZIR E REAPROVEITAR.

RECEITA SABÃO:
5 LITROS DE ÓLEO
1 LITRO DE SODA LÍQUIDA
1 COPO DE ÁLCOOL
1 COPO DE DETERGENTE
BATA ATÉ ENGROSSAR E COLOQUE PARA SECAR.

COLETA SELETIVA
PARTICIPARAM:
Crianças
Famílias
Comunidade
Todos os educadores da escola.
Como:
O material trazido era separado.
Depositado em baldes com suas respectivas cores para cada material.
Recolhido pela cooperativa de coleta seletiva.

Dulce e Bia da Cooperativa de Reciclagem Chico Mendes

PARCERIA COM OUTROS SETORES
*Cooperativa de Reciclagem Chico Mendes colaborou:
Trazendo conhecimento por meio de palestra e de material informativo aos educadores.
Visita à escola para realizar divulgação e incentivar a comunidade a coleta seletiva.
Distribuição de material informativo também para as crianças e comunidade.
Recolhendo semanalmente o material trazido

*VISITA AO ATERRO SANITÁRIO SÃO JOÃO
Na visita as crianças e famílias tiveram a oportunidade de conhecer:
Os vários locais do aterro sanitário.
Os trabalhos realizados neste local.
Qual a sua importância para o meio ambiente.
Qual a diferença entre um aterro e uma cooperativa de coleta seletiva.


CRIANÇAS BRINCANDO E APRENDENDO
Vários materiais trazidos foram reaproveitados ou reciclados.
Imaginação, criatividade na construção de brinquedos




FORMA E COR AO PROJETO
Combinado compartilhado:
Construir uma instalação de arte.
Como:
Observação e estudo dos desejos e das possibilidades artísticas de cada turma.
Trabalhos foram realizados em duplas ou trios de turmas.
Levantamento dos materiais necessários.
Organização e preparação do local para a criação.
Planejamento do tempo para a execução.
Conversa diária contextualizando cada passo do trabalho.
Reuniões com todos os professores e funcionários para o acompanhamento e andamento das atividades.




"Produto Final de 2008"

Foram expostos na Mostra Cultural

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Um prato cheio de aprendizagens - Momentos de alimentação na creche

Por Maria Cristina dos Santos

Quais as aprendizagens ocorrem nos momentos de alimentação?

video

As nossas crianças passam a maior parte do dia no CEI (10 horas diarias).

Assim, quanto mais cedo educarmos as crianças para que façam escolhas saudáveis, melhor. Neste sentido, a família e a escola têm papeis principais.

Criar rituais nos momentos de alimentação, principalmente nesta faixa etária é essencial para criar bons hábitos alimentares.

É fundamental que a criança perceba que existem alimentos que se devem ingerir diariamente e outros que são reservados para os dias de festa. E a alimentação não deve ser usada como um castigo ou prémio!

A presença do adulto como mediador é fundamental. Nestes momentos todos os integrantes da equipe educadora são essenciais.

Ao pensarmos que na instituição toda ação é intencional os momentos de refeição deve ser muito bem planejados, pois envolvem hábitos que os acompanharam para toda sua vida.

domingo, 24 de maio de 2009

Artes na Educação Infantil - Formas de expor

MUITO MAIS DO QUE DECORAÇÃO

Por Maria Cristina dos Santos
Coord. pedagógica

A forma de expor a produção das crianças é questão educativa , por traduzir a concepção de educação e da criança da instituição.


Quem organiza e garante os painéis e murais são os professores.

É sempre o professor que estuda como vai colocar os nomes, o suporte, como será o fundo, que cor é o papel que combina o que vai ser exposto.


                                   Professora Rosangela Maria dos Santos - Turma MGE
O professor é o curador: O mural é uma expressão artistica, não precisa ser uma "obra de arte", mesmo porque as crianças estão brincando, mas é uma expressão de comunicação e tem um cunho artístico que precisa ser pensado.

                         Professora Lina Assano e Professora Kátia Pedroza - Mini -grupo B


                                      Professora Lina Assano - Turma MGB




       Professores: André Luis da Silva e Maria José Anacleto da Silva Paula - Turma BII
                                                   Professora Agda Bastos - MGA

Os professores tem me surpreendido e as crianças aprendem e enriquecem-se ao apreciar os paineis das outras turmas.

Possibilidades de atividades com artes na creche

Por Maria Cristina dos Santos

Dentro da proposta de sequência didática em artes a Professora Rosangela Maria dos Santos do Centro de Educação Infantil Jardim Rodolfo Pirani apresenta a produção das crianças do Mini -grupo E
Suportes:
  • Papel sulfite: A4;
  • Tinta a base de farinha;
  • Pincel grande;
  • Interferência - espelho


Diferenças

Por Rosangela Maria dos Santos

Porque comparar desenhos de crianças pequenas?


Porque não aceitar as diferenças de cada um?



Hoje em dia ao explorar e se expressar de uma maneira diferente é possível utilizar uma linguagem por meio de expressão nas produções artísticas.

É imperativo que possamos dialogar com a arte. Com os pequenos é uma mistura de sentimentos e emoções, juntamente com sua criatividade corporal durante a atividade.

Valorizar a produção das crianças

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Os cantos na sala de convivência - EMEI Professora Rumi Oikawa

Por Bete Godoy

Os cantos de atividades diversificadas é uma das modalidades organizativas do brincar.
Eles podem ser organizados nos diversos espaços da escola.
As imagens abaixo trazem sugestões de organização dos cantos na sala de convivência e no parque, dois espaços com características bem distintas.
As duas atividades foram planejadas pela professora Maria Ivone de Jesus Ferrari que levou em consideração as preferências de sua turma, o tempo, o espaço, os materiais e interação neste momento onde o brincar possibilita a criança escolher com autonomia.

















Lavanderia

Canto da leitura
Canto da beleza


canto do médico







Cantos diversificados área externa - EMEI Profª Rumi Oikawa

Por Bete Godoy

A partir da leitura do texto brincando com água e o vídeo a casa redonda planejamos uma atividade com cantos na área externa.
O espaço convidativo para brincar e a temperatura agradável possiblitaram a organização de novos cantos como o da lanvaderia (com baldes, água, tecidos, roupas, varal, prendedores, bacias, tábuas de passar roupa e ferro) e o canto do banheiro ( com chuveiro, toalha e sabão).
Os critérios para organização dos cantos na área externa também foram levados em consideração: a estética, a acessibilidade, a segurança, a diversidade ( jogo simbólico, jogos de mesa, jogos de construção), além do interesse da turma.
Os cantos da leitura e da pintura/desenho são permanentes o que varia é maneira como são organizados seja na seleção dos gêneros ou nos tipos de materiais.
o prazer da leitura A lavanderia. Qual criança não gosta de mexer com água?

Monta-tudo canto de leitura
Organização do espaço

terça-feira, 19 de maio de 2009

Intervenções nos ambientes

Primeiras intervenções realizadas nos ambientes, após análise das documentação pedagógicas e replanejamento.

A unidade tem a muito tempo brinquedos que podemos consuderar grandes tais como: mesas, cadeiras, fogão, geladeira, arara de fantasia, mancebo que ficavam guardados no armário.
O acesso dificil e o tempo gasto para montar e desmontar os ambientes inviabilizava a utilização dos mesmos.
Por sugestão do Professor André estes brinquedos passaram a rodiziar nas salas.











Sugestão aceita pelo grupo.
Todas as terça e quinta-feira os brinquedos grandes são rodiziados pela equipe de apoio.
Todas as salas possuem seus kits tais como: beleza, musical, monta-tudo, artes, livros, jornais, revistas, animais e miniaturas, bonecas, cozinha, carrinhos.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Confecção de material

O tunel

Objetivo: explorar diferentes tipos de texturas








Material utilizado: Caixa de papelão, tela de naylon, tecido de pelúcia, encapado com papel contact.






Criação e confecção: Professora: Audenora Ferreira Spinola





Condições de um bom trabalho de leitura em creche


Critérios de seleção
1. Qualidade do texto
O texto deve apresentar um bom trabalho de linguagem, coesão interna e organicidade, evite obras, cujo caráter utilitário que enfatize visões diretiva e inquestionável de mundo e de moral.

2. Diversidade:
Procure diversificar os temas e linguagens (prosa, poesia, Cartum, livro sem texto, crônicas, conto de fadas).A oferta de obras com características bem diversas abre possibilidade de uma maior identificação do leitor com os livros, atendendo as diferenças individuais.
3. Adequação das obras á faixa etária:
Fique atenta ao tratamento gráfico dado a obra (encadernação, tamanho do livro, tipo de letra), a temática e a extensão da narrativa. Com relação á extensão das narrativas, é importante salientar que os livros com texto podem ser breves ou relativamente longos, porém, desde que sempre acessível à criança que ainda não teve oportunidade de maior contato com materiais escritos. A simplicidade de um texto, no entanto, não deve desvirtuar-lhe sempre acessível à criança que ainda não teve oportunidade de maior contato com materiais escritos. A simplicidade de um texto, no entanto, não deve desvirtuar-lhe a natureza, transformando-o em uma sucessão de frases soltas e sem significados, tal qual uma cartilha.
4. Ilustração:
Nesta faixa etária as gravuras é que irão, de inicio, exercer maior atração sobre a criança.
5. Regularidade
É interessante garantir na rotina um momento para leitura ou narração de histórias;
6. Organização do espaço
Rodas de manuseio











Interveções nos espaços

Tomar as crianças como ponto de partida nas proposições dos espaços
Cantos de leitura




Cama de gato feito com tule - BI

Cesto feito com tule e arco